Nós por cá temos a RTP Play. E como é lá fora?

Pela Europa fora, as estações de serviço público têm prioridades diferentes e isso reflecte-se no modo como operam no digital. Da organização de conteúdos aos noticiários, passando pelas recomendações, as abordagens são bastante distintas.

A badalada renovação da aplicação RTP Play tem-nos seduzido aos poucos nos últimos meses. Ao todo, são listados 12 canais de TV e 5 canais de rádio. Entre as transmissões em directo, as respectivas grelhas de programação, conteúdos em diferido e conteúdos exclusivos, há muito por onde escolher. Ter tudo no mesmo lugar parece, no mínimo, ambicioso, mas será que é caso único?

Pela Europa fora, as estações de serviço público têm prioridades diferentes e isso reflecte-se no modo como operam no digital. Da organização de conteúdos aos noticiários, passando pelas recomendações, as abordagens são bastante distintas. Olhemos, então, para a convergência digital móvel de algumas estações além-fronteiras de serviço público de comunicação.

Na BBC, há muito que a estratégia digital tem a rádio separada da TV. O catálogo móvel da BBC é extenso, desdobrando-se em aplicações dedicadas de canais ou programas, algumas de ensino de inglês, jogos para crianças, notícias, desporto e, claro, streaming de conteúdo. No que toca ao streaming móvel, as grandes bandeiras da estação britânica nos últimos anos foram o iPlayer (para conteúdos audiovisuais) e o iPlayer Radio, mas o cenário está a mudar. Para grande desgosto da audiência britânica, a aplicação focada na rádio foi recentemente descontinuada no Reino Unido. Disponível desde 2012, juntavas as transmissões em directo de todas as estações de rádio (+50) da BBC, grelhas e muita programação em diferido.

A app iPlayer Radio

Apesar da contestação generalizada, o iPlayer Radio é agora um privilégio dos utilizadores estrangeiros, embora pareça um pouco ao abandono. Embora funcional, o interface está um pouco desactualizado e, ultimamente, parece haver algumas dificuldades nas transferências. Talvez esteja para ser descontinuada num futuro próximo fora do Reino Unido, mas isso é algo que está por confirmar e, arriscamos, um cenário pouco provável. Afinal, a aplicação só foi lançada a nível global em 2016.

A grande aposta da BBC no campo móvel e de streaming chegou com o BBC Sounds: um plano inovador de convergência digital que pretende agregar todo o áudio da companhia – emissões em directo, programas em diferido, podcasts e música. A aplicação substituta do iPlayer Radio chegou com pompa e circunstância: de aspecto minimalista, quer piscar o olho aos mais jovens. Contudo, a usabilidade é confusa e, apesar da aparente arrumação, é difícil de navegar nela. Os grandes pontos de destaque são as listas de reprodução tanto de música como de podcasts e as recomendações, que chegam personalizadas e automatizadas. Com muito conteúdo em falta, até agora, a promessa ainda não se cumpriu e os utilizadores não parecem muito satisfeitos com a mudança.

Na Alemanha, a Deutsche Welle (DW) conta cinco aplicações na App/Play Store, mas só uma é relativa ao trabalho enquanto órgão de comunicação social. A Deutsche Welle – Breaking World News (iOS/Android) não engana ninguém – é uma aplicação de notícias. Tem TV em streaming e em directo e notícias por escrito, para quem tem tempo de ler. O design não é nada de especial, mas é limpo e cumpre bem a sua missão. É possível transferir conteúdos e guardar favoritos para mais tarde. Contudo, o ponto alto desta aplicação é o suporte multilíngua (com localização bem trabalhada). Sim, tem conteúdos em português, embora virados para o Brasil e para os países lusófonos de África.

A app Deutsche Welle – Breaking World News

Em França, a Radio France (iOS/Android) ganha no design: fontes legíveis e apelativas, desenho limpo, conteúdo organizado, enfim, amigo da navegação e descoberta. Rádio e podcasts co-habitam na mesma aplicação, mas em separadores distintos. Apesar da avalanche de conteúdos, nunca nos sentimos perdidos nem assoberbados. A curadoria de conteúdos é evidente e cuidada. Há várias secções temáticas que vão dos segmentos locais a tópicos do dia, passando por séries e coisas como “tens menos de 5 minutos para ouvir?”. Também traz os apitos do costume, como favoritos e transferências.

A app Radio France

Em Espanha, a RTVE também tem o seu tudo-em-um com a RTV alacarta (iOS/Android), uma aplicação que junta a TV à rádio, e o directo com o diferido. À primeira vista, é do país vizinho que nos chega a visão mais parecida com a da RTP. Até os mosaicos quadrados são semelhantes aos antigos do RTP Play. A recomendação de conteúdos é à vontade do freguês e segue um modelo original. A emissora espanhola usa metáforas culinárias para sugerir menus distintos de conteúdos aos utilizadores conforme os seus desejos: degustação (escolhas do chef), do dia (um pouco mais concentrado) e self-service.

A app RTV alacarta

Continuamos curiosos com o desenvolvimento da RTP Play. Por agora, faltam os títulos e as descrições dos episódios de programas de rádio e podcasts. Um mero detalhe numa aplicação que, no geral, está bem desenhada e é um salto gigantesco em relação ao que havia. A única falha grave é mesmo a falta de ligações para as políticas de privacidade, bem como para os termos e condições de utilização e disponibilização do serviço.