Coronavírus provoca onda de cancelamentos e Lisboa não escapa

Do South by Southwest (SXSW), em Austin, no Texas, ao Creative Commons Global Summit, em Lisboa.

O SXSW foi um dos grandes eventos cancelados até ao momento (foto de Ryan Loughlin via Unsplash)

No início de Fevereiro, quando o cancelamento do MWC, a maior feira de tecnologia móvel que teria lugar uma vez mais em Barcelona, foi colocado em cima da mesa, ainda o coronavírus era uma epidemia circunscrita em grande parte à China. O receio das empresas que tinham presença marcada no MWC era com os muitos visitantes que a feira costuma receber da China e outros países asiáticos, como a Coreia do Sul e o Japão.

O coronavírus espalhou-se, entretanto, globalmente, sendo um surto nos vários cantos do mundo e o número de cancelamento de eventos não tem parado de aumentar, acompanhando o número de infectados. O número de casos confirmados com o famoso Covid-19 já ultrapassa os 110 mil, existem perto de 4 mil mortes registadas e a epidemia já afecta 105 países, ou seja, cerca de metade dos países mundiais, segundo os mais recentes dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Coronavírus/Covid-19: um resumo das boas práticas contra alarmismos

O Covid-19 é um vírus discreto e, por isso, perigoso; pode infectar uma pessoa sem que esta mostre qualquer sintoma durante duas semanas. Por isso, podemos contactar com alguém infectado sem sabermos e ficarmos infectados dessa forma, pelo que grandes concentrações de pessoas são cenários a evitar, seguindo as recomendações da OMS. Tecnológicas como o Facebook, Google, Adobe e IBM já cancelaram as suas conferências anuais onde apresentavam as suas novidades comerciais e juntavam as suas comunidades de programadores.

Screenshot via isitcanceledyet.com

O SXSW, um dos maiores eventos de cinema, música e arte a nível mundial, marcado uma vez mais para este mês de Março em Austin, no Texas, foi cancelado. A conferência TED 2020, a principal dos eventos TED, marcada para finais de Abril em Vancouver, poderá ser adiada ou mudada para ambiente online. Ainda no Canadá a empresa dona do Web Summit cancelou um dos “irmãos” da feira lisboeta, a Collision. Este certame estava marcado só para final de Junho em Toronto e este ano vai resumir-se a palestras online; o formato físico regressará em 2021.

Entretanto, em Lisboa, tudo se mantém intacto em relação ao Web Summit, mas também há mexidas no calendário lisboeta. A BTL, a grande feira de turismo de Lisboa, foi adiada de Março para Maio e a Radiodays Europe, a maior conferência europeia de rádio que este ano está marcada para a capital lisboeta, só vai acontecer afinal no final do ano. Outra conferência, a ‘global summit’ da Creative Commons (CC) que desde 2019 escolheu Lisboa, foi cancelada – poderá haver CC Global Summit mas num formato que não físico. Também a Meia Maratona de Lisboa, agendada para 22 de Março, passou para Setembro.

A ‘global summit’ da Creative Commons, que iria regressar este ano a Lisboa, é um dos eventos cancelados (foto de Sebastiaan ter Burg via Flickr, CC BY 2.0)

Entretanto, esta segunda-feira, a Ministra da Saúde portuguesa, Marta Temido, anunciou que eventos em espaços abertos para 5 mil ou mais pessoas e eventos em espaços fechados para mil ou mais pessoas devem ser cancelados ou adiados. Tal recomendação agora anunciada abrange os eventos supra referidos e que já tinham tido alterações de agenda, mas pode também ter efeitos noutras iniciativas marcadas em Portugal, incluindo concertos e festivais. Mesmo que as restrições aconselhadas venham a cair, este clima de dúvida e indecisão deverá dificultar a vida a promotores de eventos e a participantes.

No resto do mundo, existem algumas dúvidas em relação a grandes eventos calendarizados para este 2020; a saber os Jogos Olímpicos no Japão e o campeonato de futebol na Europa (Euro 2020). A cerca de 150 dias para a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, estuda-se se o evento se faz ou não, com ou sem alterações; sobre o Euro 2020, a UEFA, entidade responsável pelo grande evento da bola, parece segura a dizer que tudo vai acontecer quando e como previsto.

Dada a onda de cancelamentos provocados pelo Covid-19, um editor do The Verge, T.C. Sottek, decidiu criar o site isitcanceledyet.com, onde lista uma série de eventos, permitindo descobrir se já foram cancelados; pelo meio, há algumas piadas habituais entre os mais geek, como o cancelamento do Google Reader, ou os mais norte-americanos; há também um link, bem metido no meio da lista, para doar aos Médicos Sem Fronteiras.

Screenshot via isitcanceledyet.com
Milhares de pessoas seguem o Shifter diariamente, apenas 50 apoiam o projecto directamente. Ajuda-nos a mudar esta estatística.