Avi Schiffmann criou o ncov2019.live, rejeitou 8 milhões e virou meme

O jovem de 17 anos recusou a proposta temendo que a empresa pudesse optar por colocar publicidade enganadora, dando como exemplo a possibilidade de publicitar máscaras falsas. Preferiu continuar a dar a cara pelo projecto e estabelecendo a partir dele ligações úteis ao seu público, rejeitando a inserção de publicidade e de trackers.

Foto de Avi
 
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Avi Schiffmann é um jovem norte-americano de 17 anos, estudante do secundário como qualquer outro. A diferença foi a sua reação à pandemia. Schiffmann viu nos números uma oportunidade e criou um dos painéis de visualização de dados sobre coronavírus do mundo, o https://ncov2019.live.

O site puxa dados de outras organizações como a Organização Mundial de Saúde ou o Centers for Disease Control and Prevention e apresenta-os numa versão objectiva, em lista, por continente, país e região e numa ferramenta que desenvolveu, que calcula a probabilidade de sobrevivência de uma pessoa tendo em conta as suas características.

O portal nCoV2019

O ncov2019 tornou-se durante o tempo da pandemia um site com um tráfego considerável. No total, em pouco mais de 2 meses, contabilizou 700 milhões de visitas o que despertou a cobiça de quem via em tanto movimento uma oportunidade de negócio. Por isso, em Abril, uma empresa terá contactado Schiffmann para remunerar o seu trabalho em troca da criação de espaços publicitários. Em cima da mesa, fala-se de uma proposta de 8 milhões de dólares, que Schiffmann acabou por recusar tornando-o, novamente, protagonista do mundo online. 

Schiffmann rejeitou os 8 milhões, virou meme e viu-se obrigado a justificar-se nas suas redes sociais. Para o jovem, não fazia sentido ceder o controlo editorial, o espaço publicitário e as suas capacidades de manutenção da plataforma por tempo indeterminado, tendo em conta as características do contrato. Schiffmann temeu que a empresa pudesse optar por colocar publicidade enganadora, dando como exemplo a possibilidade de publicitar máscaras falsas. Foi por isso que decidiu rejeitar, preferindo continuar a dar a cara pelo projecto e estabelecendo a partir dele ligações úteis ao seu público, rejeitando a inserção de publicidade e de trackers

O ncov mantém-se por isso gratuito, sem publicidade, e gerido por Schiffmann. O jovem ganhou entretanto um prémio de Personalidade do Ano na Internet, numa cerimónia especial dos famosos prémios da internet, Webbys, a partir de casa, Webbys From Home. Para o futuro já tem planos, pretende transformar o site num repositório de dados aberto para que outros possam trabalhar sobre a informação que foi recolhendo. Para já este não parece ser o único projecto do jovem que aprendeu a programar aos 7 anos; noutra publicação no Twitter lê-se que está a trabalhar num projecto de sonificação do vírus que se pode ouvir no Soundcloud. O jovem é também um constante entusiasta do código, incentivando outros a criar os seus próprios trackers para as suas regiões, numa postura que revela em parte porque fez o que fez e como fez — pela experiência, aprendizagem e utilidade pública, mais do que pelo lucro.

Actualização às 17h40 de 26/05/2020: corrigido o apelido do jovem.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.