Sábado arranca ciclo de Conversas Impróprias entre Shifter e Gerador

Na primeira conversa, transmitida online no sábado a partir das 11 horas, cabe ao Gerador dinamizar um debate em torno do jornalismo cultural e investigação, tantas vezes identificados como parentes pobres do espaço mediático nacional.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

No próximo sábado, dia 25 de Julho, arranca a parceria inédita que junta dois órgãos de comunicação social independentes, o Gerador e o Shifter, na dinamização de um ciclo de discussão sobre o ecossistema jornalístico, a que chamaram Conversas Impróprias.

Conversas Impróprias #1

Na primeira conversa, transmitida online no sábado a partir das 11 horas, cabe ao Gerador dinamizar um debate em torno do jornalismo cultural e investigação, tantas vezes identificados como parentes pobres do espaço mediático nacional. Embora estas sejam duas das áreas mais reconhecidas do jornalismo, com lugar desde sempre em jornais, revistas, televisão e até nas plataformas digitais, nem sempre têm logrado de um verdadeiro reconhecimento e valorização, tornando-se cada vez mais difícil a sua prática.

De olhos postos no futuro, a conversa pretende ter como ponto de partida a atual conjuntura e abrir espaço a uma reflexão sobre o papel destas áreas no jornalismo, relacionando a sua importância com os impactos que podem no contexto mediático.

Esta conversa será moderada pelo jornalista do Gerador Ricardo Gonçalves, tendo como convidadas Claudia Galhós e Dora dos Santos Silva.

Claudia Galhós escreve sobre artes performativas para o semanário Expresso. Foi editora do suplemento semanal «Artes de Palco», do programa Magazine, do canal 2 da RTP. Desde 1994, trabalha e colabora com diversos jornais, sites, rádios e revistas em Portugal e no estrangeiro. Estreou-se na área da ficção em 2001, com Sensualistas , o primeiro livro da Trilogia Rock, ao qual se sucedeu Conto de Verão (2002), e O Tempo das Cerejas (2007). Tem diversos contos publicados em colectâneas em Portugal e no estrangeiro, e textos sobre teatro e dança em publicações estrangeiras, alguns apresentados em conferências internacionais ou no âmbito de acções de formação e seminários dedicados à escrita sobre artes performativas. Nesta área, editou em 2006, pela Assírio & Alvim, o livro Corpo de Cordas – 10 anos de Companhia Paulo Ribeiro.

Dora dos Santos Silva é professora Auxiliar da NOVA FCSH, no departamento de Ciências da Comunicação. Licenciada em Ciências da Comunicação, mestre em Cultura Contemporânea e Novas Tecnologias e doutorada em Media Digitais. É autora do livro Cultura e Jornalismo Cultural – Tendências e Desafios no contexto das indústrias culturais e criativas. A título profissional, colaborou como jornalista em diversas publicações culturais nacionais e internacionais. Continua hoje a colaborar com órgãos de comunicação social e no desenvolvimento de projetos de conteúdos editoriais, criativos e multiplataforma em ambiente académico. É coordenadora do Observatório da Inovação nos Media e das Indústrias Criativas, investigadora integrada do ICNOVA – Instituto de Comunicação da NOVA, coordenadora editorial do projeto de comunicação de ciência e cultura +Lisboa e coordenadora da pós-graduação em Comunicação de Cultura e Indústrias Criativas na NOVA FCSH.

Como acompanhar o ciclo?

Poderás saber mais sobre o ciclo Conversas Impróprias no site do Gerador e no site do Shifter e nas redes sociais dos dois meios, onde vamos lançando a programação no arranque de cada mês.

Junta-te ao nosso grupo de WhatsApp e subscreve aqui o nosso boletim para receberes as novidades das Conversas Impróprias por e-mail.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!