Shifter recebe fundo de jornalismo de 5 mil dólares da Google

O apoio da Google serve como impulso, para compensar as perdas inerentes à quebra do mercado publicitário que se fez sentir no Shifter, permitindo-nos assegurar de uma forma mais tranquila o compromisso que assumimos com os nossos leitores e, particularmente, com aqueles que contribuem.

 
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

A pandemia de Covid-19 levou as pessoas a procurar mais informação junto dos órgãos de comunicação social mas acentuou ao mesmo tempo a crise que os media já têm vindo a sentir. O investimento das marcas em publicidade reflectiu a sua incerteza e o valor monetário de cada visualização baixou; entre despedimentos e lay-offs, as redacções trabalhavam a todo o gás para informar mais com menos recursos, e num clima de incerteza.

Em Portugal, o Governo anunciou medidas de apoio ao sector dos media, ou melhor, medidas para apoiar as empresas que detêm os maiores órgãos de comunicação social. De fora ficaram os media mais pequenos e os independentes, por não terem uma estrutura que o estado considerasse prioritário salvar e não estarem tão próximos do circuito, digamos, mainstream. Foi aí que entraram em cena apoios vindos do universo social. Na cultura vimos por exemplo, a nível local, a Gulbenkian a lançar programas de apoios e a nível internacional, no sector dos media, tanto Facebook como Google lançaram os seus programa de incentivo.

Para candidatar aos fundos tanto da Google como do Facebook o processo era simples, um media só tinha de sucintamente explicar o seu contexto e como o dinheiro extra o ia ajudar na sua operação – sem ter de dar quaisquer garantias do ponto de vista editorial, ambos os fundos deixavam claro que a concessão do apoio não seguiria esse critério desde que se fizesse prova do impacto social do projecto. Foi isso que fizemos candidatando-nos aos dois. Recebemos no mês passado a notícia que a Google escolhera atribuir-nos 5 mil dólares.

Como abertamente dissemos o Shifter custa 4 mil euros/mês, valor que abrange os 3 salários das 3 pessoas que compõem esta equipa e a remuneração dos textos dos nossos colaboradores. O Journalism Emergency Relief Fund atribuído pela Google – de 5 mil dólares, que dá cerca de 4,3 mil euros – garante assim a existência do Shifter durante (mais) um mês.

A Google criou este fundo no âmbito da sua “Google News Initiative”, um programa contínuo com diferentes actividades; na primeira ronda, a Google recebeu mais de 12 mil candidaturas de 140 países diferentes, a maioria de redacções com menos de 26 jornalistas. Metade das candidaturas não corresponderam aos critérios da Google. Em Portugal, para além do Shifter, sabe-se que o Mediotejo.net recebeu um apoio de 7 mil dólares e o Sul Informação 5 mil.

O apoio da Google serve como impulso, para compensar as perdas inerentes à quebra do mercado publicitário que se fez sentir no Shifter, permitindo-nos assegurar de uma forma mais tranquila o compromisso que assumimos com os nossos leitores e, particularmente, com aqueles que contribuem. Desde que abrimos o nosso Patreon no início deste ano e lançámos a nossa campanha no final de Abril, o número de pessoas interessadas em apoiar o nosso trabalho tem aumentado, permitindo-nos estar mais próximos de ser um projecto sustentável não só durante um mês mas continuamente.

Se quiseres falar connosco por teres alguma dúvida sobre o que este fundo significa para o Shifter, podes mandar-nos mensagem no Patreon ou para comunidade@shifter.pt.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.