Financiamento e direitos de autor no jornalismo é o próximo tema do ciclo Conversas Impróprias

No próximo sábado, dia 22 de Agosto, às 11 horas juntamos a Rute Correia, a Catarina Carvalho e o Tiago Sigorelho para uma "conversa imprópria" sobre financiamento, licenças e direitos de autor no jornalismo.

 
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Colocar jornalistas a falar da sua área, o jornalismo, é o objectivo das Conversas Impróprias, um ciclo, exclusivamente online, que irá decorrer até ao final deste ano, atacando diferentes vectores do rico ecossistema jornalístico.

Conversas Impróprias #2

Depois de uma conversa sobre cultura e investigação, considerados os parentes pobres do jornalismo, voltamo-nos para a questão do financiamento, das licenças e dos direitos de autor no jornalismo. Se, por um lado, iremos falar de como o jornalismo pode ter dinheiro para existir e existir com melhor qualidade para si e para os seus, por outro, discutiremos toda a questão das licenças e dos direitos de autor: quem é dono do jornalismo? É de todos? É um bem público?

Esta segunda conversa do ciclo Conversas Impróprias será transmitida no próximo sábado, dia 22 de Agosto, às 11 horas, no Palco Online Gerador. A moderação da conversa será feita pelo João Gabriel Ribeiro, do Shifter, que estará na companhia da Catarina Carvalho, Rute Correia e Tiago Sigorelho.

Para a Rute Correia, a rádio tem sido central no seu percurso profissional. Especializada em jornalismo musical, já passou por várias estações, incluindo a Oxigénio onde já foi reconhecida com o “Silver Innovation Award” nos Community Radio Awards em 2016. A sua formação conta com um mestrado em Produção e Gestão de Rádio, e um doutoramento cujo foco da tese é o “open source” enquanto modelo de sustentabilidade para rádios comunitárias. Neste momento, está a ultimar o Interruptor, uma revista online de conteúdo aberto que deverá ser lançada no início de Setembro.

A Catarina Carvalho começou no Diário de Notícias, para onde voltou como directora executiva mas acabou por deixar o cargo em maio deste ano, depois de anunciado que grande parte da redacção daquele jornal iria entrar em lay-off. Já esteve no Expresso, Sábado, Visão e Diário Económico, e neste momento preparar um projecto independente, além de ter entrado no doutoramento da FCSH da Universidade Nova de Lisboa. É membro do conselho do World Editors Forum e participa em vários fóruns de discussão de jornalismo mundiais. No próximo semestre será visitante do Reuters Institute na Universidade de Oxford.

O Tiago Sigorelho apresenta-se como um inventor de ideias. Formado em comunicação empresarial, esteve muito ligado à dimensão de gestão de marcas, mas despediu-se com vontade de fazer cultura para todos. É fundador do Gerador e presidente da direcção desde a sua criação. Nos últimos anos tem dedicado uma parte importante do seu tempo no estreitamento das ligações entre cultura e educação, bem como no desenvolvimento de sistemas de recolha de informação sistemática sobre cultura que permitam apoiar os artistas, agentes culturais e decisores políticos e empresariais.

Como acompanhar o ciclo?

Poderás saber mais sobre o ciclo Conversas Impróprias no site do Geradorno site do Shifter e nas redes sociais dos dois meios, onde vamos lançando a programação no arranque de cada mês.

Junta-te ao nosso grupo de WhatsApp e subscreve aqui o nosso boletim para receberes as novidades das Conversas Impróprias por e-mail.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.