Barkan depende de tecnologia para falar, republicanos usaram-na para o trair

Activista norte-americano, Ady Barkan, escreve no Washington Post um importante alerta sobre o potencial perverso da tecnologia: “Falo com voz computadorizada. Os republicanos usaram para colocar palavras na minha boca”.

Ady Barkan com a ex-candidata democrata Elizabeth Warren, Julho 2019 (foto via Flickr, CC BY 2.0)
 
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Ady Barkan fala através de um computador com uma voz computadorizada – tal como Stephen Hawkings fazia. Ady sofre, tal como o físico sofria, de esclerose lateral amiotrófica desde 2016 e, “de todas as partes dolorosas de toda este ordálio, que agora me paralisou quase completamente, uma das piores é a maneira como a doença me roubou a voz natural”, diz.

Considerado “o mais poderoso activista na América” pela revista Politico em 2019, Ady Barkan não vê na sua condição física um impedimento para continuar a lutar por uma agenda progressista. Casado e com dois filhos, e simpatizante do Partido Democrata norte-americano, Ady Barkan começou por ser uma voz em defesa da classe trabalhadora dos EUA mas ganhou palco a defender um sistema nacional de saúde para todos os americanos (e não só) através da iniciativa Be A Hero. Pelo meio, escreveu um livro com prefácio de Alexandria Ocasio-Cortez e o carimbo de Elizabeth Warren e Bernie Sanders. Mais recentemente mostrou o seu apoio a Joe Biden nas presidenciais de 2020.

É neste contexto eleitoral que surge um texto de opinião assinado pelo próprio Ady Barkan, esta semana, no Washington Post e intitulado “Falo com voz computadorizada. Os republicanos usaram para colocar palavras na minha boca”. Andy partilha uma denúncia que recai sobre o whip republicano Steve Scalise [um whip é um deputado encarregado de assegurar as presenças e a disciplina de voto dos outros eleitos pelo partido de acordo com as orientações partidárias], da Casa dos Representantes, onde os democratas são maioria em relação aos republicanos.

Ady Barkan escreve que Steve Scalise partilhou um vídeo de uma entrevista sua a Joe Biden onde a sua voz computadorizada aparece manipulada para “fazer parecer que disse coisas que nunca proferi, num esforço para distorcer as opiniões de Biden e prejudicar as suas perspectivas eleitorais”. “[Steve] Scalise acabou por apagar o vídeo de seu feed do Twitter depois de ter sido criticado por manipulação, mas as lições nefastas do episódio permanecem”, acrescenta Ady, enumerando: “a capacidade de usar a tecnologia não apenas para o bem, mas para enganar e manipular; a disposição daqueles com agendas políticas de recorrer a essa desinformação e propaganda; e a maneira como a América se dividiu em dois universos de informação separados, com um ecossistema de media conservador amplificando falsidades que então se enraizaram”.

O dispositivo que Ady Barkan usa para falar funciona através da sua visão. Um tablet colocado à sua frente usa tecnologia preditiva para sugerir palavras e frases consoante os seus olhos navegam entre as letras. A selecção das letras ou desse texto através do movimento dos olhos, que é registado por uma câmara. O discurso final é convertido em áudio e falado através de um gerador de voz artificial. “Mas por causa da minha voz estilo-Hawking, é particularmente fácil para os outros manipularem o que eu digo. A equipa de Scalise esforçou-se para encontrar o gerador de voz exacto que uso para criaram as palavras adicionais para queimarem Biden. (A equipa de Scalise nega-o.)”

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.