15 dias de cinema online gratuito para olhar outra Europa

O Festival de Cinema Europa 6.1 decorre entre os dias 15 e 30 de novembro.

Imagem do filme húngaro 'Brasileiros', de Csaba M. Kiss e Gábor Rohonyi
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Áustria, França, Hungria, Luxemburgo, Polónia, Portugal e República Checa são as sete paragens desta viagem pelo cinema europeu que começa no conforto da tua casa, online e gratuito. Entre os dias 15 e 30 de novembro. O Festival de Cinema Europa 6.1 propõe sete olhares sobre a cinematografia emergente compilando sete histórias que derretem as fronteiras do continente e celebram a cidadania europeia.

A 2ª edição da Mostra de Cinema Europeu Europa 61 estava prevista realizar-se no Porto, em maio de 2020, evento que foi cancelado devido à epidemia de Covid-19. Para compensar esta ausência, a Representação da Comissão Europeia em Portugal e a rede EUNIC Portugal decidiram, ainda assim, propor ao público português uma seleção de filmes que podem ser visualizados gratuitamente através da plataforma Jangada-VOD.

Em Macondo, ficção austríaca rodada nas margens do Danúbio, seguimos de perto a história de Ramasan, um menino de onze anos que se vê forçado a assumir o papel de chefe de uma família separada pelo confronto russo-checheno. Também com a juventude como figura central, A Vida Nos Bosques (França) é um coming of age tocante que nos põe ao lado de Salomé e o abandono da rebeldia sob o quente sol do mês de agosto. Centrado no Luxemburgo, Histórias de Hortas Comunitárias é um documentário sobre as hortas comunitárias no sul do país, onde pequenas áreas de terreno são disponibilizadas para plantio individual e onde se cruzam luxemburgueses reformados com imigrantes portugueses ou da antiga Jugoslávia. A comunidade e os seus preconceitos é o tema central de Brasileiros (Hungria), que acompanha o caos gerado pela decisão do presidente da câmara em aceitar a integração de uma equipa de futebol composta apenas por jogadores de etnia cigana no campeonato regional. Uma comédia que usa o futebol como medida de pulso à integração social.

Da Polónia e República Checa chegam-nos duas histórias sobre o amor. Fuga leva-nos a acompanhar Alicia, uma mulher que perdeu a memória, e que se vê forçada a reconstruir os caminhos de afetos com família e filhos. Em Karel, Tu e Eu, a vida aos 30 anos, através da crise de um casal a quem o tempo parece ter destruído os pontos em comum. Este programa Europa 6.1 fecha com Ramiro, de Manuel Mozos, o representante português do certame, e a vida de um alfarrabista lisboeta, poeta frustrado, que divide o seu tempo entre a loja e a tasca, até que uma novelesca sucessão de acontecimento quebra a rotina.

Consulta imagens e trailers dos filmes, bem como o programa completo aqui.

 

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!