E se existisse uma revista em papel do Shifter? Agora existe

A revista do Shifter vai ter sempre conteúdo original, que não vais encontrar online. A segunda edição sai em Dezembro.

Foto de Manuel Casanova/Shifter
 
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Anunciada em Abril, a edição física do Shifter vê por fim a luz do dia, cumprindo-se um sonho muito antigo da nossa equipa: editar em papel. A revista do Shifter vai estar disponível trimestralmente por 10 € na nossa nova loja online, e para todos aqueles que contribuem mensalmente com pelo menos 10 € através do Patreon.

A revista, cuja primeira edição sai neste mês de Setembro (a seguinte sairá em Dezembro), vai ter sempre conteúdo original, que não vais encontrar online. Neste número, que começou a ser criado durante o confinamento e num contexto pandémico nunca visto, publicamos um conjunto de ensaios, reportagens e crónicas que, tendo o Covid-19 como pano de fundo, procuram ajudar-nos a reflectir sobre nós e sobre a sociedade. Afinal, é a isso que já nos propomos online mas que no papel ganha novo sentido porque o meio providencia mais tempo de leitura e reflexão.

Foto de Manuel Casanova/Shifter

Quando pensámos em criar uma edição física do Shifter sabíamos que queríamos que servisse de marca dos tempos. Queríamos registar a intemporalidade do quotidiano, escrever uma página na história o tom simples e acessível com que todos os dias escrevemos, mas a responsabilidade de o fazer num suporte potencialmente eterno. Entretanto, o mundo viu-se a braços com uma pandemia mas nem isso nos demoveu. Pelo contrário.

Fazê-lo agora, quando é menos expectável, em tempo de total incerteza e à entrada de uma crise financeira, é um sinal claro do que acreditamos ser o papel do Shifter: reiterar a autonomia e a lucidez mesmo nos momentos mais socialmente atribulados. Foi essa constante procura, mais na prática do que na teoria, que nos norteou ao longo dos sete anos de constante mutação e evolução do projecto. Para nós o amanhã nunca foi normal.

É imersos neste espírito e convictos de que o conhecimento acumulado ao longo dos anos nos permite acrescentar algo sólido ao espaço público, que não replique fatalismos nem acene com cataclismos, que embarcamos neste desafio. Tal como cremos que enquanto sociedade o devíamos fazer.

Se os problemas são complexos, assim devem ser as discussões e as soluções; numa prática que rejeite liminarmente a simplicidade populista ou a alienação de consensos manufacturados à medida. Porque num mundo em constante mudança nenhum amanhã será algum dia normal para quem quer dar espaço à inquietação.

– editorial da 1ª Edição

Quem apoia o Shifter com pelo menos 10 euros no Patreon já tem a revista na sua caixa de correio ou a caminho, com alguns extras, como uma folha de autocolantes e um postal da belíssima capa desta edição – ilustração do talentoso Serafim Mendes.

Quem apoia o Shifter com pelo menos 5 € vai receber a revista em PDF. Na loja online, ela está disponível para todos por 10 € (preço normal) ou por 15 € (preço solidário) – ao comprares estás também a investir no nosso jornalismo. Colocámos à venda ainda a nossa folha de autocolantes por 5 €. Se quiseres fazer um donativo para o Shifter, podes fazê-lo também através da nossa loja, aqui.

Nesta edição, para além da capa de Serafim Mendes, contamos com ilustrações de Los Pepes Studio, Ricardo Santos, e conteúdos da autoria de colaboradores habituais do Shifter, a quem endereçamos o nosso agradecimento.

Foto de Manuel Casanova/Shifter

A revista do Shifter é o último dos três produtos lançados para quem investe através do Patreon a partir de 2 €/mês, permitindo que este projecto editorial possa continuar. Para ser sustentável e garantir a sua existência futura, o Shifter precisa de 4 mil euros por mês, valor que permitirá a remuneração da equipa de três pessoas que trabalha directamente no projecto e dos seus colaboradores. Neste momento, o Shifter está a receber cerca de 600 euros da sua comunidade.

O Shifter é um meio de comunicação nascido no digital e focado no mundo real, que procura questionar o progresso tecnológico e o futuro da sociedade – de uma perspectiva independente, criativa e humana. O Shifter é para quem acredita numa sociedade mais activa e participativa. Fundado em 2013, o Shifter apresentou-se renovado no início deste 2020 com uma nova atitude e abordagem jornalística, procurando afirmar-se como uma alternativa no mercado português.

Foto de Manuel Casanova/Shifter
Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.