Uma lista de leituras para te manteres informado sobre o coronavírus #4

Informação fidedigna e de confiança é fundamental em momentos epidémicos como aquele que atravessamos. São também momentos de incerteza, em que as opiniões pouco importam mas é preciso continuar a agir sem deixar de reflectir. Sem pânicos mas com consciência.

Foto de Alex Knight via Unsplash, com Shifter
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

O surto de Coronavírus já é, mais do que uma previsão, uma certeza em todos os países do mundo — mesmo naqueles que, como os Estados Unidos da América, o desprezaram até à última. Com toda a humanidade a braços com o desafio, de pouco mais se fala e sobre pouco mais se escreve pelos jornais mundiais. Contudo, no meio de tanta informação é importante saber fazer uma triagem do que interessa, porque nem toda é fidedigna, nem interessante.

Informação fidedigna e de confiança é fundamental em momentos como o que atravessamos. São também momentos de incerteza, em que as opiniões pouco importam mas é preciso continuar a agir sem deixar de reflectir. Tudo para que essas acções sejam as mais ponderadas e certeiras.

Para te ajudarmos a encontrar boas leituras e conteúdos para que possas estar o mais informado possível, fizemos este primeiro artigo, este segundo e este terceiro. Agora, para continuarmos a actualizar a nossa lista de leituras pertinentes e úteis para ti, lançamos a quarta edição, e poderemos continuar a lançar edições seguintes, caso apanhemos novos artigos de interesse (também podes enviar as tuas sugestões para comunidade@shifter.pt):

Desta vez abrimos a janela do tempo e damos-te uma seleção de artigos 100% portugueses:

1 – Portugal a meio gás. O que mudou num país em suspenso.

O país está parado. Por muitos que sejam os casos denunciados nas redes sociais sobre a quebra do protocolo por parte dos corredores de quarentena, ou à força das passeatas de domingo, os dados mostram como tudo mudou em muito poucas semanas. O trabalho de visualização de dados do Rui Barros, Dinis Correia, Inês Chaíça e Hélio Carvalho mostra-o como poucos. Reunindo dados de 8 sectores, interpretando-os e dispondo-os de uma forma visualmente apelativa e interessante, o trabalho do Público é revelador das mudanças no quotidiano dos portugueses, para além da monotonia caseira das nossas stories de Instagram.

2 – Em cenário de pandemia, as fragilidades da cultura ficam a descoberto

A pandemia atingiu-nos em várias áreas. O cancelamento dos eventos culturais foi sem dúvida um dos mais notáveis mas o reflexo na cultura não se fica por aí. O Gerador, revista dedicada ao jornalismo cultural, debruçou-se sobre isso numa das suas primeiras peças dedicadas inteiramente ao tema, oferecendo-nos um retrato das fragilidades que o coronavírus veio a descobrir no tecido cultural português.

3 – Sem-abrigo: e quando não há uma casa para ficar de quarentena?

Confinados a casa e sujeitos a uma rotina pouco habitual nem sempre temos a capacidade de perspectivar a nossa situação e de nos lembrarmos que há sempre quem, infelizmente, esteja pior que nós. É isso que faz este trabalho da Fernanda Câncio, uma reportagem que versa sobre aqueles que não têm casa onde fazer quarentena, os sem-abrigo.

4 – COVID-19 x música: e depois do adeus?

O perigo da pandemia será transitório mas o seu impacto não. Foi sobre isso que se escreveu no Rimas & Batidas no inicio de toda esta epopeia. Um artigo que nos incentiva a pensar que marcas deixará este período na nossa cultura, como se traduzirá nas peças dos artistas, nas letras das músicas, ou nas narrativas que o cinema nos trará. É um bom ponto de partida para uma reflexão que com certeza perdurará.

5 – O português que lançou a plataforma que quer acabar com a escassez de ventiladores nos hospitais

Um dos projectos que mais se tem destacado no meio de tanta iniciativa comunitária é o projecto Open-Air. Iniciado com um tweet de João Nascimento, o projecto junta agora engenheiros de todo o mundo que debatem ideias e criam novos produtos tentando dar resposta à escassez que se vive, nomeadamente de máscaras ou ventiladores. Esta entrevista ao Sapo 24 é uma das que foi dando a explicar o seu projecto e dá-nos a conhecer um dos rostos por de trás de uma iniciativa que, como o próprio refere, restaura um pouco a fé na humanidade.

Também no Shifter estamos a acompanhar o tema.  Podes acompanhar tudo o que vamos escrevendo nesta página. Nas próximas semanas traremos mais perspectivas díspares sobre o Covid19, aproveitando o momento de crise para reflectir sobre o essencial da nossa sociedade.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.